/>
2 Em Informações básicas sobre o Peru/ Lima/ Peru

5 erros para não se cometer em Lima

Miami e Disney com crianças

Depois que eu fiz o post falando como se locomover em Lima, fiquei pensando nas pequenas dicas que existem para facilitar a vida de quem se aventura por aqui. Afinal, é justamente no trivial que estão as armadilhas do desconhecido, e esses erros podemos evitar, por isso decidi fazer esse post.

Vocês sabem que a gente ama Lima e, mesmo com os vários defeitos que ela tem – que lugar não os tem?! –, preferimos sempre ver o copo meio cheio e aproveitar tudo que ela nos proporciona de bom. Acreditamos mesmo que esse é o segredo para facilitar a adaptação a qualquer lugar. Entretanto, não dá para fazer a Pollyanna e ignorar o que, claramente, está mal na cidade. São dicas simples e até meio triviais de coisas que devem ser evitadas pois farão toda diferença na sua estadia aqui.
Eis os 5 erros para NÃO se cometer em sua vinda a Lima:

1. Alugar um carro

Tá bom, já falamos insistentemente nesse assunto aqui, aqui e aqui, mas nunca é demais. O que acontece bastante é que muita gente vê os baixos preços dos aluguéis de carro por aqui e se pergunta: “-Mas será que não seria mais fácil alugar um carro?”.
“-Não.”, eu digo. O preço é baixo justamente porque não existe tanta procura por esse serviço.

Alugar um carro aqui pode ser muitas coisas, menos um facilitador da sua vida de turista. A não ser que você queira passar um tempo considerável da sua estadia se estressando com o caos do trânsito e o desrespeito dos motoristas e pedestres a todas as leis de tráfego que você conhece, aí, longe de mim te tirar essa alegria!
Se não, peça seu taxi tranquilinho e só admire a doideira como passageiro. Sempre a melhor opção.

2. Dar bobeira com bolsa, dinheiro, celular e máquina fotográfica

Esse parece óbvio, mas não é. Em comparação as grandes cidades brasileiras, Lima é bastante segura. Eu me sinto super segura aqui em praticamente qualquer lugar e, graças à Deusa, nunca passei por um perrengue sequer nesse sentido desde que me mudei pra cá. É dificílimo você ver nas notícias aqui latrocínios, assalto a mão armada ou roubos meticulosamente arquitetados, contudo, o índice de furtos é muito alto.

Aquela bobeira de esquecer a bolsa aberta, mexer no celular andando na rua, deixar a carteira em cima do balcão enquanto paga alguma coisa. É um segundo de distração e a hora que você vê, não está mais lá. E essas coisas acontecem dentro de shoppings, supermercados e grandes lojas, não precisa estar no centro muvucado da cidade para estar sujeito aos ‘mãos leves’.

Uma amiga teve o celular e a carteira roubados de dentro da bolsa que ela carregava enquanto estávamos juntas numa loja do shopping La Rambla e só nos demos conta 1h depois. Outra já teve o celular roubado duas vezes enquanto falava ao telefone dentro do carro com o vidro aberto. Leitores já nos escreveram desesperados porque estavam dentro do taxi, no trânsito, com a bolsa no colo, quando alguém passou e levou a bolsa. Esse delito é muito comum por aqui e é o tipo de dor de cabeça que ninguém quer ter, muito menos durante uma viagem.

Minha dica é: estejam atentos aos seus pertences durante todo o tempo. Lógico que dá pra andar em qualquer lugar, tirar fotos e mexer no celular, mas sempre conscientes do seu redor. Mantenham as bolsas e mochilas sempre fechadas e rente ao corpo, evitem movimentar grandes quantias de dinheiro no meio da rua e, quando dentro do carro, deixem as bolsas longe das janelas – de preferencia nos seus pés ou no meio do banco, entre as pessoas.
Cuidados simples assim costumam funcionar bem para evitar estes incidentes tão desagradáveis.

Double Tree by Hilton Paracas

3. Sair sem protetor solar

Sempre que vemos o sol, lembramos de passar protetor, usar óculos, chapéu, etc. Mas esse é justamente o problema aqui em Lima, já que, na maior parte do ano, a cidade está encoberta pelas nuvens cinzas.
Não se deixe enganar pelo céu gris limenho, o Peru é um dos países com o maior índice de radiação solar no mundo! Especialistas dizem que há um buraco na camada de ozônio justamente sobre o Peru, o que torna o nível de radiação do país um dos mais altos já registrados NO PLANETA. (Leia mais sobre o assunto: em português, em espanhol, em inglês.)
As nuvens que cobrem a capital peruana não são suficientes para impedir que a radiação solar chegue até a terra e, para se proteger, o uso do protetor solar é obrigatório. Principalmente se o seu dia turístico envolver longos passeios ao ar livre, como uma volta no segundo andar do turibus.

4. Assumir que irá comer maravilhas em qualquer lugar

Sim, Lima é a capital gastronômica da América Latina e o Peru, como um todo, tem se destacado cada vez mais no cenário gastronômico mundial. Chefs renomados, ingredientes frescos e a criatividade de um povo que valoriza a própria cadeia culinária são apenas alguns dos ingredientes para esse sucesso.

Porém, é óbvio que existem coisas / lugares / pratos que não agradam. Pode ser porque foram mal preparados, pode ser pela falta de costume em comer determinados ingredientes, pode ser que simplesmente não agrade seu paladar. São tantas variáveis que só posso concluir ser ingenuidade alguém achar que, porque está aqui, pode comer qualquer coisa, aonde seja, que será delicioso.

Se normalmente onde a gente mora, lugar conhecido, do dia a dia, não paramos em qualquer biboca pra comer o que quer que sirvam, por que seria uma boa idéia fazer isso numa viagem? As chances dessa experiência ser ruim são altíssimas.

Eu sei que muita gente acha chato ficar pesquisando mas deixe a preguiça de lado e tente organizar também um roteirinho básico de restaurantes, pelo menos uns 3 ou 4 que você queira provar, ou as comidas que você sabe que iria gostar. Existem tantos bons restaurantes, nos mais variados preços e cardápios, que só a preguiça justifica a premissa de quem diz não entender porque a gastronomia aqui é tão renomada.
No blog a nossa sessão de gastronomia é uma das maiores em número de posts, entra lá, vê o que mais te agrada e deixa salvo aí junto com sua programação. Tem para todos os gostos e preços!

La Picanteria, restaurante em Surquillo, Lima

5. Falar que conheceu o pisco ou o ceviche no Chile

Peru e Chile tem uma rivalidade imensa desde o século XIX, consequência da Guerra do Pacífico, da qual o Chile saiu vencedor. Essa rivalidade se estendeu recentemente a política internacional quando o Peru, em 2008, pediu que a fronteira marítima do Chile no Oceano Pacífico fosse delimitada e, em 2014, teve a decisão a seu favor.

Das grandes as pequenas questões, como futebol, bebida e comida, a rivalidade está instalada. E são temas inevitáveis pois para todo brasileiro eles perguntam de futebol, e para todos estrangeiros perguntam o que acharam da comida peruana.
Quer ver um peruano endoidar é só falar bem do futebol chileno ou de como você achou maravilhoso quando conheceu o pisco e o ceviche na sua visita ao Chile. Terão reações mais ou menos intensas mas, 100% das vezes, esteja seguro que seu comentário será desagradável. Como a conversa vai seguir, dependerá do quanto você quer irritar o seu interlocutor.

Parece uma coisa besta (eu, sinceramente, acho) mas seria como alguém dizer, no Brasil, que conheceu o churrasco verdadeiro quando esteve na Argentina. Ou talvez afirmar que o Maradona é melhor que o Pelé, não sei, sou péssima em analogias esportivas. Mas é fato que são afirmações que irritariam muitos brasileiros por aí, então dá pra se colocar no lugar dos peruanos, né?!
Portanto, se quiser ser um visitante nota 10, não adianta falar bem do futebol peruano, porque né?! Mas discorra sobre como o pisco e o ceviche peruanos são incomparavelmente melhores a todos os outros que você já provou. 😉

Talvez você também goste

2 Comentário

  • Reply
    Gildrei Oliveira
    12/05/2017 at 22:45

    Realmente o transito de Lima é caótico ( e olha que já foi bem pior) , mas acho que alugar um carro talvez seja interessante pra quem planeja pequenas viagens, como Paracas ou Caral

    • Reply
      Bia Kuntz
      15/05/2017 at 11:55

      Com certeza, Gildrei!
      Se a intenção da pessoa é viajar a partir de Lima – Paracas, Ica, Nazca, Caral -, sem contratar um motorista ou serviço especializado para isso, alugar um carro é sempre uma opção.
      Escrevi o post pensando mais em quem vem para ficar na cidade mesmo e pensa em alugar um carro para se deslocar por aqui. Porque é um transito com gente doida e um volume grande de carros nas ruas.
      Mas de todas as formas, vale lembrar que nas estradas as pessoas dirigem tão pessimamente quanto na cidade, a diferença é que o fluxo de carros é menor. Mas a atenção deve igualmente ser redobrada. 😉
      Um abraço, Bia.

    Deixe seu comentário, opinião, dúvida, elogio. A gente vai adorar!