/>
7 Em Cusco/ Informações básicas sobre o Peru/ Lima/ Peru

Como fazer mala para o Peru?

“Como fazer a mala para o Peru?” é a pergunta que sempre está na nossa caixa de e-mails. Pessoas explorando diferentes regiões do país e as poucas fotos não turísticas da cidade de Lima ajudam ainda mais para a dúvida, então, apesar de termos comentado no Informações Básicas, aqui dou uma detalhada no assunto. Se segura que vem textão!

Primeiro e mais importante: tente viajar leve. Não faça uma grande mala para o Peru, porque, além de ser chato carregar mala pra cima e pra baixo, pode acontecer de querer comprar aqui e não terá espaço e ainda pagará excesso (mala entre Brasil e Peru é de máximo 23kg, em sua maioria).

Outro fator que é importante, como já disse mil vezes aqui no blog, contamos pra vocês nossa percepção da cidade. Claro que a roupa varia de acordo com idade, classe social, região em que mora, etc. Aqui é um parâmetro geral do que vivenciamos.

PEru no Verao

Se você vem visitar o Peru no verão, você terá dois ambientes: sol muito quente em Lima e em todo o litoral e chuva na serra (entende-se Andes) e na selva (floresta amazônica e adjacências).

Lima, como toda a capital, tem a moda globalizada, apesar da tendência aqui ser seguir a moda americana de Miami e ainda serem mais formais. No verão pode shorts, minissaias, vestidos, sandálias abertas, camisetas. Tudo pode, menos barriga de fora. É muito, muito, muito raro ver alguma barriga de fora pela cidade. Homem sem camisa, nem pensar. Ah! Homens aqui também não usam sunga. Bermuda dentro e fora da praia.

Como no Brasil, os jovens tem mais liberdade nas roupas que os adultos. As mulheres costumam se vestir bem, cheias de acessórios, óculos escuros, chapéus e roupas normalmente e tons neutros. As cores vem pontuando mais no alto verão mesmo (janeiro). As limenhas usam MUITO calça legging ou skinny em qualquer estação. Elas costumam ser muito magras também.

Não espere encontrar aqui roupas criativas e estampas interessantes como no Brasil. Apesar do Peru ser um polo tecnológico de tecido e fabricação de roupas, eles ainda estão bem atrasados em relação a design.

Os homens usam muito jeans, mas também calças de brins coloridas (cores mais neutras e escuras). Bermudas de tecido também são usadas, mas as estampadas de praia, só mesmo na praia. Para parte de cima, os homens aqui usam igual ao Brasil, camisetas, polos e camisas manga largas, com a diferença que usam MUITA polo. Praticamente polo para qualquer saída. A noite, camisa social.

Se seu destino são as praias do litoral, é como se você estivesse em uma cidade de veraneio brasileiro.

Quanto aos biquínis, aqui são maiores (como os americanos), usa-se maio com mais frequência que no Brasil e existe até uma versão camiseta + calcinha de biquíni. Eu uso biquíni brasileiro com tranquilidade e sem causar choque, mas os meus são mais comportados. Evite os fios dentais. 😉

Seu destino sendo a selva (Iquitos, Tarapoto, Reserva de Manu), período de chuva e muito calor. Roupas tapadas e leves são as mais aconselhadas, como leggings, camisetas, calças de trekking, sapatos fechados, pelo risco de picadas de mosquitos.

Seu destino sendo Cusco e Machu Picchu é importante saber que as chances de pegar chuva são muitas, mas faz calor. Apesar de todos pensarem que é um destino super aventureiro, Cusco é bem cidade e você poderá fazer uma mala normal se você não optar por fazer a trilha inca.

Cusco é uma cidade pequena, mas é uma cidade estruturada com excelentes hotéis, restaurantes e uma vida noturna agitada. Você poderá usar tudo que usa em Lima no verão, com diferença que a noite esfria mais e um casaquinho leve é necessário. Outro item importante para Cusco é um sapato confortável, porque você anda muito pela cidade (apesar de ter bastante taxi circulando). Sapato confortável também para Machu Picchu, de preferencia com boa aderência para não correr o risco de escorregar. Para o verão, capa de chuva e guarda-chuva são imprescindíveis.

Fiz um checklist de verão para vocês imprimirem.

Inverno no Peru

No inverno, o Peru esfria. As praias do norte são o lugar mais quente e mesmo assim, corre um vento frio a noite e o mar fica ainda mais gelado.

Lima esfria também e o céu se cobre num eterno nublado branco, aqui chamado de cor “panza de burro”. As temperaturas ficam amenas, raramente baixando de 10oC, mas a cidade tem uma humidade alta, fazendo tudo mais gelado. Sabe quando você coloca um jeans e ele está frio? Ou quando deita em um lençol e a cama gela? Então, isto acontece aqui. É a humidade. A partir de maio, ligam-se os desumidificadores para tentar amenizar o problema (ainda maior nos bairros como San Isidro, Miraflores e Barranco). Outro fator que faz esfriar é o vento. Aqui eles tem uma expressão repetida todos os dias, por todos, conhecidos e desconhecidos, que se cruzam numa conversa no parque, praça ou elevador: “corre aire”. No inicio, eu não entendia muito isto, mas é aquele vento frio do entardecer que insiste em aparecer para gripar os despreparados. Tenha sempre um casaco na mão em Lima.

No inverno, os limenhos se vestem felizes (difícil encontrar um limenho que ame o calor!). Casacos, cachecóis, lenços, coletes, botas, botas e botas. A limenha ADORA uma bota. Você vê gente de bota até no verão. Botas de todos os jeitos e modelos, mas principalmente as botas tipo cavalaria, por cima de leggings, um casaco e uma bolsa/sacola. Pronto. Eres una típica limeña. 😉

Nos últimos anos os invernos estão mais amenos, mas, se sentir-se gelada, o segredo é correr a uma loja de departamento (Ripley ou Sagafalabella) ou no supermercado Wong e procurar aquelas blusas tipo segunda pele da marca Koquetta. São ótimas também para quem vai encarar o frio da serra (Cusco, Machu Picchu, Puno, Lago Titicaca e até Arequipa). A marca também vende umas meias calças sem pé que são flaneladas por dentro. Excelentes e com ótimo preço.

Para os homens, a roupa praticamente vira uniforme. São jeans, com camisas manga largas e casaco pesado. Aqui se usa muito também coletes.

Na região dos Andes, Cusco e principalmente Puno, no inverno, as temperaturas podem chegar a 2-5oC a noite. É importante levar roupas que aguentem o frio, mas que não sejam pesadas. Casacos e roupas térmicas, sapatos confortáveis e também térmicos são uma boa pedida. Caso seja difícil encontrar no Brasil este tipo de roupa, deixe para comprar aqui. Você terá a opção de roupas de alpacas, compradas nos mercados de Lima ou de Cusco, ou as roupas de esporte outdoor, vendidas aqui em diversas lojas no Shopping Larcomar ou Jockey Plaza, como Columbia, The North Face, RKF, entre outras. Existe também as pontas de estoque destas lojas no Lima Outlet Center, ao lado do aeroporto.

Fiz um checklist de inverno para vocês imprimirem.

MACHU PICCHU

machu picchu, peru

Eu com meu jeans e tênis de ginastica.

É comum as pessoas pensarem em Machu Picchu como um lugar super aventureiro, de trilhas, sem estrutura e de risco. Não queria desapontá-los, mas esqueça isto. É comum a confusão, mas isto é trilha inca (que termina na cidade sagrada, claro). A Cidade Sagrada de Machu Picchu pode, e é, visitada por todo tipo de pessoas, de crianças a idosos, com ou sem preparo físico. Com ou sem roupa de trekking. Claro que o parque pode ser explorado de diversas formas e realmente é grande, cheio de sobe e desce, mas a pessoa vai fazer o que for do seu limite. Pode ser que não suba o mais alto ou não queira descer até o final, mas o passeio é igualmente lindo e emocionante. A roupa vai de cada um, o importante é se sentir confortável e que esteja de acordo com a temperatura. Eu fui de jeans e tênis. Minha mãe, mais arrumadinha. Meu pai, de camisa polo. Os gringos europeus e americanos normalmente com duas calcas/bermudas leves e seus tênis de caminhada. Os locais de botas. Muitos jovens, estilo hippie. Em Machu Picchu, cabe tudo.
Se estiver indo com bebê, vá com canguru, sling ou aquelas mochilas especiais para bebes em trilhas. Carrinho de bebe é impossível de usar.
Na mochila, leve protetor solar, um boné/gorro (dependendo da estação), algo para comer (não pode comer dentro do parque, mas na espera do ônibus sim), lencinho de papel (eu carrego sempre comigo, mil utilidades), uma garrafinha de agua. A cidade sagrada é como um museu. O tour demora aproximadamente 3 horas. Na entrada tem banheiro, maquina de lanchinhos e bebidas, restaurante e uma emergência médica.

No mais, atenção sempre com sua bagagem. Devido ao histórico de trafico de drogas, o país tem um controle rígido. A vacina de febre amarela não é obrigatória, mas se vai explorar a selva é importante. Traga sempre seus remédios mais básicos. Tome água só engarrafada, por segurança. Aqui as principais marcas são San Luis, Cielo e San Mateo, mas só a última é agua mineral. As demais são filtradas (chamadas aqui “agua de mesa”) . Só aventure-se em comida de rua se você já estiver acostumado, se não, prefira restaurantes que passam confiabilidade ou comidinhas industrializadas (leia-se biscoitos embalados). Tenha sempre uma cópia do seu passaporte na sua mala/hotel. Ande com seu passaporte ou RG, não precisa andar com os dois.

Venha tranquilo. Boa viagem.

Talvez você também goste

7 Comentário

  • Reply
    Carla Schmidt
    13/05/2016 at 09:53

    Oi Manu, estou adorando seu blog. Vou para o Peru em julho, para Cusco e Lima. Gostaria de saber ond comprar suéteres de lã de alpaca e algodão Pima nessas cidades. Obrigada.

    • Reply
      Bia Kuntz
      19/05/2016 at 15:41

      Olá Carla,
      Você irá encontrar alpaca nos mercados de artesanato, como o mercado Inka.
      Contudo, os produtos de melhor qualidade são das marcas Kuna, Sol Alpaca e MFH / Michell. Existem várias lojas destas marcas espalhadas pela cidade e inclusive dentro da Ripley.
      Algodão pima já é mais complicado, não conheço uma única marca que venda exclusivamente algodão pima, várias marcas locais fabricam algumas peças em algodão pima então, dependendo do que você quer comprar, são marcas diferentes.
      As marcas femininas que tem mais peças em pima são Basement (dentro da Saga Falabella) e Menta y Chocolate, existe uma marca de underwear masculina que vende na saga, a Clover, cuecas e pijamas masculinos maravilhosos. E roupa de bebê você irá ver desde coisas mais baratas, como a Yamp (também na Saga) até lojas mais luxuosas como a Punto bebê e a baby cottons.
      Espero que possa ter ajudado.
      Abraço, Bia.

      • Reply
        Carla
        21/05/2016 at 19:52

        Oi Bia, obrigada. Já ficou mais fácil. Vou procurar essas marcas sim. Obrigada.

        • Reply
          Bia Kuntz
          23/05/2016 at 15:29

          De nada, Carla! 🙂

  • Reply
    Danielle Alice
    02/05/2016 at 13:25

    Olá Manu, seu blog é sensacional! Usaremos diversas dicas suas para a nossa viagem à Lima em outubro…

    Sem querer abusar da sua boa vontade, você saberia dizer como funciona o Tax Free no Peru, se existe mesmo a devolução do IGV e se há postos de atendimento no aeroporto?

    A final, com a nossa moeda desvalorizada do jeito que está, pode valer à pena né!?

    Obrigada, bjs!

    • Reply
      Manu Tessinari
      15/06/2016 at 16:20

      Otima pergunta Danielle!

      Sabe que a gente não fez nenhum comentário sobre o assunto nunca e agora você me fez pensar, procurar, pesquisar porque realmente eu não conheço o serviço aqui. Bom, por tudo que vi realmente passou batido porque aqui não existe. Não há postos no aeroporto, nem lembro de lojas com o famoso adesivo. Sem taxas, só o Duty-free mesmo… Mas vou pesquisar mais afundo até pra fazer um post, entao, descobrindo algo, te aviso!

      abraços,
      Manu

      • Reply
        Danielle Alice
        16/06/2016 at 15:01

        Obrigada Manu! é uma pena não ter rs ….

        Qdo fui para Lisboa, recebi a devolução dos impostos no aeroporto que renderam muitas guloseimas de última hora no duty free…

        Depois disso, sempre pesquiso se o País tem tax free pra pedir a nota certa ao fazer compras…

        bjosss

    Deixe seu comentário, opinião, dúvida, elogio. A gente vai adorar!