/>
2 Em Arequipa/ Cultura/ Peru

Arequipa: o que ver?

Como já contei no último post, eu mesma fiz a nossa programação de passeios e já que moro aqui e não preciso pagar o roaming da internet (se tivesse que pagar, não ia nem cogitar usar), tinha me programado pra usar o Google maps pra me localizar por lá. Mas… Como todo 3G que se preze (nada contra o sinal em Arequipa especificamente, o 3G daqui em geral, assim como do Brasil, nos deixa na mão muitas vezes), estava funcionando a passos lentos, assim que a melhor opção foi o tradicional mapa de papel.

Mapa do Centro Histórico de Arequipa. (Retirado do Guia Oficial PromPeru Arequipa)

Mapa do Centro Histórico de Arequipa.
(Retirado do Guia Oficial PromPeru Arequipa)

Ao desembarcarmos, ainda na área aonde retirávamos as malas, havia um balcão que disponibilizava mapas da cidade e informações turísticas, mas o mapa que conseguimos no hotel era mais conciso, menor e com melhores indicações (mais ou menos como esse aí de cima), assim que nos orientamos por ele em todos os trajetos que fizemos.

  1. Museo Santuarios Andinos:

Localizado na Casa de La Cultura, da Universidade Católica de Santa Maria em Arequipa, esse museu guarda objetos e múmias de aproximadamente 550 anos, todos correspondentes a cultura Inca. A visita acontece sempre com o acompanhamento de um guia, primeiro é transmitido um vídeo de 20 minutos que fala sobre a pesquisa sobre os Santuarios Andinos e suas descobertas que estão expostas no museu. Em seguida, passamos para as salas de exposições onde o guia explica sobre cada peça até chegarmos a famosa Juanita – a múmia de uma menina de cerca de 17 anos que foi sacrificada aos Deuses Incas e sepultada no alto do vulcão. Juanita se tornou famosa pelo seu excelente estado de conservação e todas as descobertas que o mesmo proporcionou. Ela se encontra exposta de maio a dezembro – nos outros meses o museu expõe a sua “irmã”, Sarita.

Juanita. (www.ucsm.edu.pe)

Juanita. (www.ucsm.edu.pe)

Achei interessante o museu, nosso guia era muito bem preparado e soube responder a todas as perguntas do grupo, mas o ponto alto da visita, nossa amiga Juanita, me decepcionou um pouco – em prol da boa conservação da múmia, a sala é super escura e a câmara onde ela está exposta bem grossa, mas por isso eu mal consegui vê-la. Sei que essa forma de preservação do material histórico é a correta e fico feliz em ver um museu peruano tão bem estruturado, mas confesso que tive uma decepçãozinha por não conseguir enxergá-la assim como na foto acima.

Dica: O museu é bem gelado, vale levar um casaco; não é permitida a entrada com câmeras ou celulares, mas eles oferecem gratuitamente um serviço de guarda-volumes para deixarmos nossos pertences; todas as visitas são feitas sob a orientação de um guia interno e é gentil deixar uma gorjeta com o guia ao final do seu tour. Funciona de segunda a sábado, das 9h às 18h, e aos domingos das 9h às 15h. A entrada custa S/. 20,00 (R$15,60) por pessoa.

Entrada Casa De la Cultura UCSM

Entrada Casa De la Cultura UCSM

Pátio de entrada - Museo Santuarios Andinos.

Pátio de entrada – Museo Santuarios Andinos.

2.  Yanahuara:

Bairro do subúrbio de Arequipa, em crescente evolução até os dias atuais. Primeiramente povoado pelo índios Yanahuara,  foi rapidamente colonizado e ocupado pelos espanhóis pela sua excelente localização. Possui uma vista privilegiada da cidade e dos vulcões, além de ser um bairro agradabilíssimo. Fomos até lá a pé desde o nosso hotel, que estava na praça de armas, foi uma caminhada de mais ou menos uns 40 minutos – onde paramos pra fotografar em vários pontos.

Ponte Grau - caminho até Yanahuara

Ponte Grau – caminho até Yanahuara

Lhamas na praça - caminho a Yanahuara

Lhamas na praça – caminho a Yanahuara

Jardim - praça de Yanahuara

Jardim – praça de Yanahuara

Igreja de Yanahuara

Igreja de Yanahuara

Abaixo do Mirante existe uma pequena feira de artesanato repleta de produtos locais à disposição. Adoramos a vista e o ambiente – muitos jardins, vento bom (depois da caminhada isso foi importante) – mas como fomos no sábado perto do horário do almoço, a parte turística do bairro estava bem cheia – tinha uma excursão de adolescentes, estava havendo um casamento na igreja, assim que o bairro estava bem tumultuado. Mas nada que incomodasse nosso passeio.

Mirante de Yanahuara

Mirante de Yanahuara

 

Artesanías

Artesanías

3.  Catedral de Arequipa:

Eu tenho um fraco por Catedrais. Sou louca pela de Lima (já falamos um pouquinho dela aqui), fui com todas as visitas que pude e não é um passeio que me incomoda repetir. Obviamente quis conhecer a de Arequipa, que assim como a de Lima, é Patrimônio Mundial da UNESCO. A basílica e o museu são super bem cuidados, lindos, cheios de peças exclusivas da igreja que contam a história da cidade, da colonização e das pessoas. Mas o meu top 3 da visita a catedral Arequipenha é o seguinte:

  • A fachada: Construída toda em sillar, a pedra vulcânica branca, a Cateral de Arequipa tem uma fachada imponente mas ao mesmo tempo moderna, não sei descrever. Acho que por ser mais clara que as catedrais “comuns” ela me passa essa impressão. É linda e vale ser apreciada de dia ou com a sua estratégica iluminação à noite.
Catedral de Arequipa

Catedral de Arequipa

Catedral de Arequipa à noite

Catedral de Arequipa à noite

  • O órgão: A catedral Arequipenha tem um órgão super antigo que foi restaurado recentemente. Assim sendo ele funciona de verdade. Todas as terças, quintas e sábados o organista toca a partir das 15h, se você se programar consegue escutar música durante a sua visita. Eu nunca tinha escutado um órgão “ao vivo” – emocionante e impactante.
Órgão da Catedral de Arequipa

Órgão da Catedral de Arequipa

  • A Vista: O passeio ao Museu leva os visitantes até a torre da catedral, onde se pode ver os sinos gigantes, a vista privilegiada dos horizontes da cidade, mas, principalmente, da praça de armas. As linhas da cidade nós podemos apreciar de outros pontos turísticos, mas a possibilidade de ver a praça de armas “de cima” só se consegue dali. Pra mim essa vista vale todo o passeio!
Praça de armas de Arequipa

Praça de armas de Arequipa

A visita é feita com um guia interno, que também recebe uma gorjeta ao final. A catedral está aberta à visitação diariamente das 10h às 16h (permanece fechada durante o almoço), com missas todos os domingos às 11h – durante a missa não são permitidos visitantes. A entrada ao museu custa S/. 15,00 (R$ 12,00) por pessoa.

 

 

Talvez você também goste

2 Comentário

  • Reply
    Boia Paulista
    11/11/2013 at 08:44

    Oi, Bia. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie – Boia

    • Reply
      Bia Kuntz
      11/11/2013 at 14:48

      Que boa notícia, Natália! Adoramos!
      Obrigada!!

    Deixe seu comentário, opinião, dúvida, elogio. A gente vai adorar!